5 Qualidades dos melhores abraços no forró

Updated: Sep 9

Alguma vez você abraçou alguém e foi tão gostoso que você não queria que o abraço terminasse? Alguma vez a conexão com outra pessoa na dança fez com que seus passos fluíssem melhor do que o habitual?



Eu acredito que uma conexão sincera e um abraço confortável são dois dos mais importantes fatores para uma boa dança a dois. A dança fica muito mais gostosa e permite que os dançarinos tenham uma interação muito mais significativa.


Na minha experiência, forrozeiros tendem a ter um dos abraços mais amigáveis e naturais entre as danças a dois. Eu até ousaria dizer que o abraço do forró é uma das razões pelas quais tanta gente adora essa dança.


É impressionante o quanto um abraço pode transformar a dança. Mas afinal, o que define um bom abraço?



Baseado em 15 anos de experiência como frequentador assíduo de eventos de forró e mais de 3 anos dando aulas semanalmente na cidade de Nova Iorque, eu compilei uma lista de 5 características geralmente presentes nos melhores abraços no forró.



1. Reciprocidade


Reciprocidade é a base necessária pra construção de um bom abraço. Ambos os parceiros precisam estar abertos e querendo criar essa conexão. Se um dos parceiros estiver emocionalmente desconfortável com o abraço, ajustes precisam ser feitos e a abordagem deve ser repensada. E isso não tem nada a ver com a técnica em si. Isso é sobre espaço pessoal, confiança, intimidade e respeito.


Cada pessoa interpreta e sente o abraço de uma maneira diferente. Cada parceria na pista de dança tem implicações emocionais variadas. Devemos buscar entender isso, ser empáticos e respeitosos.


Minha sugestão é: abrace seu parceiro da maneira como você gosta e quer ser abraçado. Se ele responder reciprocamente, lindo! Se ele responder de uma maneira diferente ou negativa, ajuste. (isso relaciona com o número 5 dessa lista)


2. Contato


Forró é uma dança que se utiliza bastante de contato corporal. Além de poder criar uma experiência gostosa a dois, nós usamos o contato para comunicar movimentos. Diferente de outras danças a dois que se utilizam majoritariamente da condução através das braços e/ou estímulo visual, o forró se utiliza do corpo todo para a conexão e comunicação. Forró é uma dança que explora e favorece o tato.


Ao criarmos esse tipo de contato, nós conseguimos nos movimentar juntos de maneira fluida, sentir e responder às várias nuâncias do movimento do parceiro. Essa conexão também nos permite criar uma relação de condução sutil e orgânica.


3. Uso positivo do abraço


O abraço e a conexão devem ser usados primeiramente para comunicar movimentos e criar sensações e reações positivas.


Um erro que eu vejo com certa frequência na pista de dança é quando dançarinos se utilizam do parceiro para "solucionar" problemas de equilíbrio e/ou como apoio para os braços/corpo. Além de ser muito desconfortável, isso também gera uma grande limitação para a movimentação.


Traga o que você tem de melhor - a melhor versão de você mesmo - para seu abraço!


4. Pró-atividade


Ambos os parceiros - condutores e conduzidos - são resposáveis por criar e manter um bom contato e abraço durante a dança. As relações na dança devem ser equilibradas. O objetivo é ter um abraço pró-ativo que serve como ferramenta para a movimentação coordenada a dois.


5. Habilidade e disponibilidade em adaptar


Cada pessoa é diferente, cada corpo é diferente, cada relação na dança é diferente, e cada abraço vai ser diferente também. Nós temos tantas maneiras de abraçar e criar conexões. Devemos escolher a abordagem de acordo com nosso parceiro e a situação.


A habilidade e disponivilidade de adaptação é um elemento chave para fazer com que qualquer abraço seja uma experiência boa para os dois parceiros. A alternância entre diferentes abraços pode ser inclusive uma grande oportunidade para criar interesse na dança e dinamizar a relação com nosso parceiro.


Acredito que temos que ter 2 principais tipos de adaptação em mente:

  • A) Adaptação geral ao parceiro. Temos que considerar a estrutura corporal do nosso parceiro, seu estilo e o nível de intimidade que temos e queremos com ele.

  • B) Adaptação ao decorrer da dança. Diferentes movimentos requerem diferentes tipos de abraço. Além do fato de que o abraço pode ser utilizado de maneira criativa e musical.



Espero que você tenha gostado deste blog e que essas 5 ideas ajudem você a aproveitar ainda mais suas próximas danças. Se tiver outros elementos que ache importante no abraço e queira dividir conosco, escreva nos comentários.


Eu escrevi essa lista ao preparar meu curso "Forró Connection & Embrace Course", aqui para o Forró New York. São mais de 2 horas de conteúdo focado no abraço e conexão. Clique no link abaixo caso tenha interesse e queira saber mais. (o curso é em inglês)


Forró Connection & Embrace Course - https://www.forronewyork.com/online-course-beginners


Sobre o autor

Rafael Piccolotto de Lima é apaixonado pelas artes, doutor em música e foi indicado ao Grammy Latino como melhor compositor de música clássica em 2013. Para ele todas as formas de expressão são de alguma maneira correlacionadas, gerando seu interesse e atuação diversificada; de fraque nas salas de concerto até sapato de dança no chão batido do salão. Nascido em Campinas, São Paulo, hoje ele reside a margem do Rio Hudson com vista para o sul de Manhattan.


Website: www.rafaelpdelima.com

YouTube Channel: www.youtube.com/rafaelpdelima

Instagram: www.instagram.com/rafaelpiccolottodelima/

Facebook: www.facebook.com/RafaelPiccolottodeLima/

29 views

Thank you for your visit!

  • Black Facebook Icon
  • YouTube - Black Circle

© 2017-2020 Forró New York

Created and edited by Rafael Piccolotto de Lima.